Resenha: Dumplin' - Julie Murphy

Título: Dumplin',#1 - Dumplin' Cresça e apareça. Faça e aconteça!
Autoras: Julie Murphy
Editora: Valentina
Páginas: 300
Compre: Aqui




Especialmente para os fãs de John Green e Rainbow Rowell, apresentamos uma destemida heroína e sua inesquecível história sobre empoderamento feminino, bullying, relação mãe e filha, e a busca da autoaceitação. Sob um céu estrelado e ao som de Dolly Parton, questões como o primeiro beijo, a melhor amiga, a perda de alguém que amamos demais e “estou acima do peso e ninguém tem nada com isso” fazem de Dumplin’ um sucesso que mexerá com o seu coração. Para sempre. Gorda assumida, Willowdean Dickson (apelidada de Dumplin’ pela mãe, uma ex-miss) convive bem com o próprio corpo. Na companhia da melhor amiga, Ellen, uma beldade tipicamente americana, as coisas sempre deram certo... até Will arrumar um emprego numa lanchonete de fast-food. Lá, ela conhece Bo, o Garoto da Escola Particular... e ele é tudo de bom. Will não fica surpresa quando se sente atraída por Bo. Mas leva um tremendo susto quando descobre que a atração é recíproca. Ao contrário do que se imaginava – a relação com Bo aumentaria ainda mais a sua autoestima –, Will começa a duvidar de si mesma e temer a reação dos colegas da escola. É então que decide recuperar a autoconfiança fazendo a coisa mais surreal que consegue imaginar: inscreve-se no Concurso Miss Jovem Flor do Texas – junto com três amigas totalmente fora do padrão –, para mostrar ao mundo que merece pisar naquele palco tanto quanto qualquer magricela.





“Linda, foi o que ele disse. Gorda, é o que eu penso. Mas será que não posso ser as duas coisas ao mesmo tempo?”

Recebi esse livro em parceria pela Editora Valentina e assim que soube dele fiquei louca pra lê-lo, mas não imaginava o impacto que ele teria durante a leitura. Dumplin' é o primeiro livro da autora  Julie Murphy publicado aqui no Brasil, e foi também meu primeiro contato com a escrita da autora e  posso garantir que foi o primeiro de muitos, porque estou totalmente encantada pela escrita da autora.
"... A vida inteira tive um corpo digno de comentários, e se há uma coisa que viver na minha pele me ensinou foi que, se o corpo não é seu, você não tem o direito de dizer nada. Seja a pessoa gorda, magra, alta ou baixa, não interessa."

Nesse livro vamos conhecer Willowdean Dickson, conhecida por Willow ou Will para os mais íntimos. Ela é filha de uma das ganhadoras do concurso de Miss Jovem Flor do Texas - um concurso de grande popularidade na região - Will é uma garota gorda e que não tem medo e nem vergonha de ser assim, Will aprendeu a ignorar comentários toscos e o bullyng que sofria na escola, além de ignorar principalmente as indiretas da mãe que sempre decide assistir com a filha algum programa de transformação onde a gorda não se ama e após emagrecer fica feliz da vida, ou vive enfiando dietas na vida dela. Ela perdeu a sua tia Lucy a pouco tempo por causa de um ataque cardíaco, mesmo não sendo relacionado direta a obesidade sua mãe fica ainda mais neurótica. Então além de perder a tia/amiga/mãe, sua mãe está ainda mais paranoica por causa do corpo da filha, e com isso algumas brigas familiares acontecem.
“Meu corpo é o grande vilão da história. É assim que ela o vê. Uma prisão que encarcera a parte melhor e mais magra de mim. Mas está redondamente enganada.”
Só que esse ano a vida de Willow está passando por uma grande mudança, já que ela está apaixonada por Bo seu companheiro de trabalho, e ela é correspondida. Poderia ser algo normal e até mesmo banal pra muitos, mas pra ela mexe diretamente com sua insegurança com seu corpo. Pra ela o menino lindo que toda garota iria querer ficar jamais iria realmente gostar dela, uma garota gorda.

Durante esse tempo ela e sua melhor amiga Ellen, amiga que é o oposto dela, já que é a tipica beldade americana, começam a se afastar e acabam brigando quando Willow decide participar do concurso  Miss Jovem Flor do Texas. Ela queria somente o apoio de sua amiga e não a participação direta dela no concurso, na verdade as coisas já estavam estranhas entre elas e essa foi a gota d'água que faltava pro copo transbordar.

No momento que ela decidiu participar do concurso ela não imaginou que sua iniciativa iria afetar outras pessoas, até ser surpreendida com outras três meninas da escola totalmente "fora dos padrões" que decidem participar também. E é no meio de tudo isso que conhecemos os medos e dilemas de Will.
“Detesto ver gordas na tevê ou no cinema, porque parece que o único jeito de o mundo aceitar um gordo é se ele estiver infeliz com o próprio peso ou se for o melhor amigo piadista. E eu não sou nenhuma das duas coisas.”
Eu não imaginei me sentir tão representada em um livro como me senti nesse. Em vários momentos da leitura eu me vi derramando lágrimas, não pelo livro ser triste, mas sim por está lembrando os meus medos diários. Aquela luta diária pelo corpo que a "ideal". O gordo(a) que nunca sofreu bullyng que atire a primeira pedra, é muito difícil quando você está fora dos padrões que a sociedade determina, e muitas vezes os comentários depreciativos faz você se sentir cada vez pior.
“Há algo no biquíni que faz com que as mulheres achem que precisam conquistar o direito de usá-lo. E isso é um absurdo. Na verdade, o critério é muito simples: você tem um corpo, não tem? Então veste um e manda ver!”
A insegurança que ela tem em relação ao Bo, quando ele abraça ela e sente suas gordurinhas, é como se eu estivesse lendo minha história. Quantas vezes eu me encolhia eu me esquivava por medo do que iam ou vão pensar do meu corpo, quantas vezes eu fiz dietas loucas só pra ser a magra que todo mundo deseja. Bo eu achei ele um garoto totalmente decidido, e que não tá nem aí pra opinião dos outros. Não posso mentir, mas foi paixão a primeira página pelo Bo kkkkk.
“Marcus resmunga não sei o quê sobre TPM e, para minha surpresa, vem a voz de Bo da cozinha: - Por que ela não pode estar tendo um dia ruim? Não precisa inventar nenhum motivo idiota pra isso.No escritório, Ron solta um assovio baixinho.”

O dilema que ela tinha com a mãe é outro que até hoje tenho com a minha família, o apelido Dumplin (Dumplin’ é tipo um salgadinho frito) que sua mãe deu e considera carinhoso, nem sempre é bem vindo, e esse foi mais uma das coisas que mexeu comigo. Muitas vezes conseguimos ignorar as pessoas da rua, da escola ou qualquer estranho, mas é tão difícil fazer o mesmo com a família, principalmente quando começam com as malditas piadas gordofóbicas que só humilham e menosprezam o corpo de uma pessoa gorda.



O livro foi todo escrito em primeira pessoa e no ponto de vista de Willow. A capa é simplesmente coisa de diva e eu amei demais. A diagramação tá linda e não encontrei nenhum erro ortográfico durante a leitura. Terá um segundo livro, mas não sei exatamente o que a autora vai abordar, e de onde vai partir, mas posso garantir que já é leitura garantida, teremos também o filme que tenho certeza que será um lacre.

Não posso deixar de falar do amor que ela tem pela cantora Dolly Parton, que até a leitura do livro já tinha visto quem era, mas não conhecia ela realmente e durante a leitura já comecei a procurar todas as músicas dela kkkkk. Outra coisa que amei na Will é o quanto ela é contra o bullyng, não só o que ela sofreu, mas ela também é contra e não faz contra os outros. Porque sim, humilhar qualquer pessoa é errado, porque nunca sabemos o que ela passa ou passou.
“Você não merece vencer nada nem participar de qualquer concurso até ir à luta, batalhar. Talvez as gordas, as mancas ou as gengivudas e dentuças não costumem vencer concursos de beleza. Talvez não seja a norma. Mas o único jeito de mudar isso é marcando presença. Não podemos esperar as mesmas coisas que as outras garotas esperam até começarmos a exigi-las. Porque ninguém vai nos dar nada de bandeja, Will.”
Acredito que esse livro deveria ser de leitura obrigatória pra todos e de todas as idades. Um livro que me fez rever conceitos, me fez repensar valores e acima de tudo me fez querer me amar mais. Ver todos os dilemas de Will só me fez ver o quanto tenho dúvidas parecidas, mas que diferente dela não tenho a mesma auto estima, e isso é algo que preciso trabalhar mais.

Um livro sobre família, amizade, paixão, mas acima de tudo um livro sobre amor próprio. Uma história com uma representatividade incrível, e mostra que sim a representatividade é importante. Você não precisa ser ou ter sido gorda(o) pra entrar de cabeça na história, muito menos fazer parte da minoria, você só precisa ler e aceitar as diferenças. Esse livro entrou para os meus favoritos do coração e é um livro que jamais vou me cansar de falar.










10 comentários:

  1. Raquel!
    Difícil viver dentro dos padrões que a sociedade impõe, principalmente na adolescência.
    Gostei de ver que Will e suas amigas querem apenas mostrar que são 'normais' que não são diferentes das outras adolescentes e achei demais a ousadia dela em querer participar de um concurso de beleza.
    E que mãe é essa, hein? Vixe! E porque tentava fazer o melhor, avalie se não...
    Tão bom quando nos identificamos com um enredo, né?
    "...Aceite com sabedoria o fato de que o caminho está cheio de contradições. Há momentos de alegria e desespero, confiança e falta de fé, mas vale a pena seguir adiante..."(Paulo Coelho)
    Cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA DE AGOSTO 3 livros, 3 ganhadores, participem.

    ResponderExcluir
  2. Olá, Raquel!

    Que resenha bacana. Você praticamente expressou tudo o que senti ao ler esta obra. Fiquei muito feliz ao finalmente me ver representada por uma protagonista. Você tem dicas de outras histórias assim?

    Beijo

    ResponderExcluir
  3. Oi Raquel,
    É difícil se aceitar quando os outros não aceitam e este pensamento sempre esteve presente em minha vida. Dumplin trás uma protagonista que vive o oposto que muitas pessoas com problemas com o peso vivem, pois ela vai da certeza para a insegurança e isto é o que mais me atrai para fazer esta leitura. Todos os problemas abordados, deste coisas intimas até os problemas com a mãe de Willow são tão reais que tenho certeza, muitos leitores, irão se identificar.

    ResponderExcluir
  4. Que resenha linda, adoro mocinhas beme resolvidas e fortes apesar de suas fragilidades, a temática é incrível, falar do corpo feminino e todas as inseguranças que alguém acima do peso enfrenta e tbm amei saber que o mocinho é super fofo e encher gav ela é não o exteriotipo que incutir amanhã a ela.Obrigada por partilhar sua história pessoal bjs e até a próxima resenha. ������

    ResponderExcluir
  5. Realmente a representatividade apresentada neste livro, e o que nos cativa a esta leitura, principalmente a mim, porque também já sofri e muito a respeito de estar dentro dos padrões, ainda bem que hoje me aceito como sou, mas este e um processo bastante árduo. Que como na personagem gera insegurança, baixa auto estima, e bem estar consigo mesmo, mas espero que esta seja uma estória com final feliz, mesmo aborda uma trama real.

    Participe do TOP COMENTARISTA de AGOSTO, para participar e concorrer Ao livro "Dois Mundos", o primeiro da série "Tesouros da Tribo de Dana" da escritora Simone O. Marques, publicado numa edição linda pela Butterfly Editora.
    http://petalasdeliberdade.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Olá, acho muito legal ver livros com protagonistas que mostram que ninguém precisa estar dentro dos padrões impostos pela sociedade para se sentir bem e feliz. Pretendo ler e descobrir o que vai acontecer entre ela e Bo. Confesso que a capa não chamou muita atenção e em minha opinião um pouco feinha. Mas tirando esse pequeno detalhe, entrou pra minha lista de desejos (que cresce cada vez mais haha),
    Beijos.

    ResponderExcluir
  7. Oie
    Que resenha maravilhosa! Estou muito curiosa para ler esse livro desde a época que a Valentina estava divulgando.
    Acho tão positivo a literatura estar abrindo o leque trazendo protagonistas fora do padrão d belezas impostos.

    Amei

    Beijo

    Meu mundinho quase perfeito

    ResponderExcluir
  8. Eu quero muito ler esse livro! Sou super fã da Rainbow Rowell e se falam que é parecido com as histórias dela, já tenho certeza que vou adorar.
    Parece ser uma história bem rela sobre dificuldades de aceitação da sociedade ao se deparar com pessoas que não se encaixam nela.
    Adoro tramas desse tipo!

    ResponderExcluir
  9. Já percebi que todos os leitores que têm contato com esse livro acham maravilhoso e com um tema super atual na sociedade. Veio em um momento bem legal, fazer a mulher se enxergar especial, mesmo não sendo perfeita aos olhos de outras pessoas. Li inúmeras resenhas e todas influenciam a leitura por acharem que realmente faz uma diferença enorme àquele que lê. Ainda não tive oportunidade, mas o empoderamento feminino está sendo importantíssimo !!
    Ótima resenha, abraços.

    ResponderExcluir
  10. Simplesmente adoro livros com temática "bulliyng", obviamente não pelo sofrimento e traumas enfrentados, mas pela superação do protagonista. Todo mundo passa por uma fase dessas na vida, mas hoje as consequencias conseguem ser incalculaveis. Enfim esta obra está certamente na lista de aquisição

    ResponderExcluir