Resenha: O Rei das Cinzas - A Saga dos Jubardentes, #1 - Raymond E. Feist

Título: O Rei das Cinzas - A Saga dos Jubardentes, #1
Autoras: Raymond E. Feist
Editora: Harper Collins Brasil
Páginas: 512
Compre: Aqui


Das cinzas da guerra surge um rei
Quando o destino do mundo é ameaçado por uma guerra iniciada pelo rei Lodavico para depor os Jubardentes da Itrácia e destruir seu reino, cabe a dois órfãos de origem desconhecida restabelecerem a paz. Ainda que ambos sejam motivados pela vingança, suas razões são completamente díspares, não há outro caminho e eles precisarão chegar a um acordo.
O rei das cinzas é o primeiro volume da saga dos Jubardentes, destinada a se tornar mais um clássico do autor.











"- Mas um aviso. O homem sábio se prepara para a próxima guerra depois da última batalha, não quando ela já grassa sobre sua terra."
Antes de falar do livro quero pedir desculpa pela minha ausência aqui no blog. Mês passado minhas leituras estavam devagar quase parando, mas esse mês com os preparativos da Bienal estou praticamente no ritmo do mês passado. Acredito que após a Bienal eu consiga entrar no ritmo de novo, e pretendo trazer pelo menos um post falando um pouco sobre a Bienal em agosto. Agora sem mais delongas vamos a resenha.

O Rei das Cinzas conta a história de Hatu e Declan.

Hatu é órfão e vive em uma luta interna por não saber exatamente do seu passado e muitas vezes ele fica em conflito com seus próprios sentimentos. Ele convive com outros diversos jovens onde são treinados nas artes mortais da Nação Invisível, entre esse jovens ele tem dois melhores amigos, Donte que é filho de um membro poderoso da Ordem e Hava uma jovem cheia de habilidade, por quem Hatu luta para descobrir seus verdadeiros sentimentos.
"Sozinhos, nenhum de nós é uma ameaça; juntos, poderíamos derrubá-lo."
Declan também é órfão e foi criado por Edvalt, e com toda ajuda dele se tornou mestre - ferreiro em armas. Declan além de ter um talento maravilhoso, ele é inteligente e isso faz com que a vida dele vá se moldando, porém nem sempre como ele imagina.

A vida de ambos os jovens é rodeada de segredos, segredos esses que eles nem imaginam e que pode ser capaz de dar poder ou acabar com a vida deles.

O livro já começa com um prólogo de tirar fôlego. Após diversos séculos um reino é traído e toda sua família é morta em público, com cenas até então pesadas o livro tem um início um tanto quanto surpreendente que me deixou de boca aberta em diversos momentos.



Após esse início o livro dá um pulo no tempo nos levando diretamente pra vida de Hatu e Declan, e nos mostrando a vida de ambos e todas os desafios que ambos enfrentam diariamente. Não posso deixar de citar que o autor tem uma forma de descrever o cenário que faz a gente realmente sentir dentro da época, sem deixar essa descrição cansativa ou massante.

O livro é todo escrito em terceira pessoa, com pontos de vistas alternados entre Declan e Hatu e alguns capítulos com outro personagens secundários. A capa é simplesmente linda, com uma diagramação que eu amei também. Durante a leitura não encontrei erros ortográficos, e não posso deixar de citar que logo no início do livro tem um mapa o que me fez ficar ainda mais apaixonada por essa edição.



Esse livro é praticamente uma enorme introdução na série, não é um livro pra ser lido em um dia, e por mais que a história te prenda e a escrita seja fluída, provavelmente você vai parar durante a leitura, mesmo querendo ler mais e mais.
"... Existem homens que podem ser manipulados e usados. São presas para serem destripadas."
Uma das personagens que mais amei foi Hava, ela é a típica personagem feminina que é treinada, mas tem pensamentos diferentes totalmente do que é proposto. Em muitos momentos eu achava que o livro era uma baita contradição com os personagens femininos, em alguns momentos menosprezando e outros exaltando, demorei pra entender o motivo de tudo isso, mas quando entendi foi um baita alívio.

O livro tem um final inesperado, o que me deixou muito curiosa com a continuação. Além do livro ser passado em outra época, o livro  possui críticas do nosso tempo, tanto quanto na religião e na politica.

O Rei das Cinzas é uma história que os fãs de fantasia épicas e medievais com certeza vão gostar e vão pedir por mais. O autor conseguiu me deixar curiosa e ao mesmo tempo não saber o que pensar do próximo livro, porque eu nem sei mais quem é realmente o inimigo.







8 comentários:

  1. Oi, Raquel,

    Em meio à origens desconhecidas e envolto de segredos, é perceptível como esse primeiro volume serve como uma introdução e ponto de partida desse universo criado pelo autor, que com certeza renderá muita história em sua continuação.

    Confesso que a história não despertou o meu interesse...

    ResponderExcluir
  2. Bom, eu adoro guerras épicas e isso me deixa com vontade de ler este livro. O unico problema é que não gosto de ler séries quando não tenho todos em mãos. Eu fico um pouco frustrada e acabo esquecendo de fatos importantes já lidos. Prefiro esperar sair todos e ler de uma só vez. Bjus.

    ResponderExcluir
  3. Oi Raquel,
    Confesso que é difícil uma fantasia me envolver, e mesmo com sua opinião positiva não curti tanto o enredo. O ponto mais alto para mim é a parte da personagem feminina se destacar, acho que nesse tipo de história isso é sempre legal.
    Não pretendo ler, mas espero que a série continue te conquistando...
    Beijos

    ResponderExcluir
  4. Olá!
    O livro tem uma premissa ótima, com uma fantasia bem legal e boa.. Fiquei bem que curiosa por ele, adoro livros que seja uma mistura de ação e segredos.. Espero poder ler essa nova serie e conhecer o autor também né..

    Meu blog:
    Tempos Literários

    ResponderExcluir
  5. Acho linda essa capa!
    Não é um tipo de leitura que chama minha atenção, acho que por isso achei muito ter mais de 500 páginas kkkkkk
    Gosto quando um livro tem um final inesperado, mesmo que na hora me deixe pu**.
    Gostei da resenha.
    Boa Bienal, traz novidades pra nós.

    ResponderExcluir
  6. Oi Raquel,
    O Rei das Cinzas tem o tipo de premissa que não me canso de conferir. O autor conseguiu chamar minha atenção ao trazer o ponto de vista de diversos personagens, pois isso abrange melhor o universo criado e fica mais fácil entrar na história. A melhor coisa de livros de fantasia é ter cenas bem descritas e se o autor trouxe isso para a trama é mais um ponto a favor. Confesso que não conhecia o livro ou o autor, mas gostei muito da indicação.

    ResponderExcluir
  7. Raquel!
    Bom ver que o livro apesar de tão grande, tem uma escrita fluida e envolvente que faz o leitor ficar grudadinho até acabar.
    Adoro livros que tem mapas, fica mais fácil de localizar.
    cheirinhos
    rudy

    ResponderExcluir
  8. Tenho livro da série Mago, porém ainda não o li.
    Amo tramas com cenários medievais e essa realmente parece ser bem envolvente e fiquei super curiosa.
    Vou até ler a série do mago que tenho aqui haha

    beijinhos
    She is a Bookaholic

    ResponderExcluir