Resenha: Rafani - Sinéia Rangel

Título: Rafani
Autora: Sinéia Rangel
Editora: Coerência
Páginas: 452
Compre: Aqui

Bon vivant e cafajeste assumido, Sam Allencar cultiva três paixões: mulheres, sexo e vinho. Complicações nunca foram parte da sua vida, tudo o que deseja está ao alcance das suas mãos.
Até que o seu caminho se une ao de uma desconhecida.
Uma mulher com um passado marcado por traumas e uma vida construída sobre segredos e mentiras, que aprendeu ainda criança que o sentimento mais confiável é o medo, é ele que a mantém viva.
Ele não sabia o que estava em jogo, até que estivesse irreparavelmente envolvido.
Ela não sabia como contar a verdade, até que fosse tarde demais.
Incompatíveis desde o início, mas será que o amor pode curar um passado de dor?

CONTÉM CENAS DE VIOLÊNCIA SEXUAL E PEDOFILIA.
NÃO HÁ ROMANTIZAÇÕES DESTES TEMAS.





"Minha vida, minhas regras. A primeira delas é que a única regra, verdadeiramente importante, é viver o momento. Levo a sério esta regra, sou um bon vivant, apaixonado pelas mulheres, por todas elas."

Rafani foi um livro que li a algumas semanas e na verdade eu não pretendia fazer a resenha desse livro (sorry), mas mesmo depois de algum tempo ainda me lembrava da história e acredito que isso me motivou a fazer essa resenha. Vou fazer uma resenha curta pra evitar de dar spoilers, nesse livro vamos conhecer Sam e Rafani.

Sam é um personagem que aparece em uma outra trilogia dela, Paixão Sustenida, já fiz resenha do primeiro livro dessa trilogia, e logo sai dos outros também. Sam é um homem de 25 anos com atitude de moleque, o que logo na sinopse você já consegue ter uma noção de como ele é. Sam é aquele homem que é todo família, só que não tem interesse em constituir uma família no momento. O foco dele é o trabalho, sua família, e as mulheres sem envolvimento sentimental, mas a vida dele muda do vinho branco para o vinho tinto quando ele conhece Rafani.

Rafani tem 35 anos é mãe solo e tem dois filhos, Bárbara de 19 anos e Guga de 5 anos. Ela é uma mulher que luta diariamente pra cuidar dos seus filhos, ela tem traumas que sempre a atormentam. Rafani é uma mulher que se tornou forte ainda cedo e que hoje luta diariamente pra que seus traumas não afetem ainda mais sua vida, e quando ela conhece Sam ela sente medo, mas ao mesmo tempo ela se vê atraída por um cara mais novo, mas que foi capaz de mexer com o coração machucado dela.

"Você é uma equação que não consigo resolver, a única merda de equação que me fez perder o sono, porque não sei o que diabos fazer pra ter mais tempo com você."

 O livro da Sinéia não abordou somente a história da Rafani e do Sam, a autora foi além que colocou na história mais dois personagens, que seriam secundários mas acabaram se tornando tão principais quanto Rafani e Sam. Não vou falar quem são pra não dar spoiler, já que a introdução deles na história começou superficial e só depois se tornou permanente.

Logo de cara eu desconfiei dos traumas que seriam abordados, uns eu soube por causa da sinopse e outros no decorrer da leitura mesmo. A autora pegou temas intensos como pedofilia e abuso sexual e graças a todos os deuses ela não ROMANTIZOU  o livro, e nem fez dos traumas dos personagens algo banal ou que se "cura" com a vista de um tanquinho masculino, e não posso deixar de falar sobre a idade deles, já que Sam é 10 anos mais novo que a Rafani e  mostrou por diversas vezes o medo de Rafani em se envolver com alguém bem mais novo que ela.

O livro foi contado em primeira pessoa, com os ponto de vistas alternados entre Rafani e Sam e da metade pro final outros dois personagens também ganham capítulos. Durante a leitura não encontrei erros ortográficos e a capa por mais que tenha relação com a história não foi o que me chamou mais atenção.
"Tenho muito a agradecer, fui mais feliz nos últimos meses do que em toda minha vida, ele pode não ser capaz de curar o meu corpo, mas curou a minha alma e serei eternamente grata por tê-lo conhecido, por ter me apaixonado e sonhado que poderíamos ser uma família; havia muito tempo que não sabia o que era sonhar.Meu erro foi esquecer que na minha história não há espaço para um final feliz."
Eu no começo da leitura pensei em abandonar a história por não sentir nenhum tipo de apego pelo Sam, o jeito cafajeste dele não me atraia e muitas vezes eu fiquei com raiva dele, só que Rafani com todo seu mistério me prendeu e me deixou interessada em descobrir todos os segredos. Como eu já disse alguns eu já imaginava, mas outros foram introduzidos de uma forma que eu não desconfiei. Algumas coisas eu senti que foram desnecessários para o drama da história, por ser já um livro com uma carga intensa algumas coisas acabaram se tornando desnecessárias, mas essa foi minha opinião.



Um livro onde a superação é o ponto forte da história, onde mostra que por mais que as coisas tenham acontecido a muitos anos, não existe uma cura para isso. Adorei ver como o Sam amadureceu no decorrer da leitura, e como Rafani conseguiu superar o medo de se entregar e que mais uma vez graças a todos os deuses Sam não foi um cara abusivo ou machista forçando ela a nada que não quisesse.

Rafani é um livro sobre segunda chances, não uma segunda chance para outras pessoas, mas uma segunda chance para você mesma e para a vida. Um livro que mostra que o amor não cura tudo, mas pode te ajudar a enfrentar obstáculos e que pode te ajudar a levantar quando você cair. Recomendo esse livro pra todos aqueles que queiram ler não só uma história de amor, mas uma história de amor, família e cumplicidade. Eu li o livro ainda em e-book, mas ele já se encontra em pré venda pela Editora Coerência.










16 comentários:

  1. Raquel do céu! Tô é morta! Que resenha maravilhosa é essa? Obrigada de todo coração, por vc ter se permitido conhecer esta história, por ter seguido em frente, mesmo qnd o comportamento "moleque" do Sam te incomodou e por ter se detido aos pontos positivos. Muito obrigada!

    ResponderExcluir
  2. Tem temas que são muito fortes, não se me atreveria a ler!

    MRS. MARGOT

    ResponderExcluir
  3. Oi Raquel,
    Se eu fosse só pela capa, não teria me interessado pela história, mas sua resenha me fez ter um outro olhar sobre esta história. Romances que estou acostumada sempre focam na menina, inexperiente e sem grandes responsabilidades que se envolve com um homem mais velho, mas Rafini apresenta uma história oposta e achei isso bem interessante. Ficou claro que Rafini tem traumas (e, aparentemente, não são pouca coisa), mas além disso ela é mãe, tem seus responsabilidades diárias e isso faz com que a personagem seja muito real. Sam não é muito diferente de outros mocinhos do gênero, mas é a relação dele com Rafine que mais chama atenção. É uma ótima indicação e deixarei anotada para uma leitura futura.

    ResponderExcluir
  4. Oi, Raquel!!
    Gostei muito da resenha que você escreveu mas não me sentir atraída pelo tema do livro. Mas ainda bem que a autora sob abordar temas tão polêmicos e sérios de maneira certa e sem dúvida isso é o mais importante na estória.
    Beijoss

    ResponderExcluir
  5. oii mesmo acostumada a ler livros com temas fortes, eu não sei se teria coragem de ler ele. Eu tenho ele no meu kindle, mas ainda não chegou a hora de ler. Ótima resenha, a já li outros livros da autora e ela é maravilhosa.

    Bjusss

    ResponderExcluir
  6. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  7. Boa tarde! Que bom Raquel que vc resolveu escrever a resenha pois a sinopse já tinha me deixado com vontade de ler o livro mais sua resenha colocou ele na minha lista de leitura para outubro, a Rafael parece ser uma personagem incrível, forte e determinada, fico meio pé atrás com mocinhos tão cafajestes, mas espero que o San me surpreenda .bjsssss e até a próxima. 😘😘😘😘😘

    ResponderExcluir
  8. Oi! Fiquei aliviada quando disse que autora não romantizou o livro!
    E que tema pesado, hein. Mas mesmo assim gostei da premissa.
    Pretendo ler ele sim, só não sei quando kkk
    Beijos.

    ResponderExcluir
  9. Olá!
    O livro é muito incrível, tem uma temática maravilhosa. A autora fez uma historia bem interessante e a historia e algo pesado para ser escrito. Fiquei bem interessada em ler, com certeza uma premissa maravilhosa.

    ResponderExcluir
  10. Raquel!
    fico feliz que tenha optado por fazer a resenha, porque temas abordados por ele são importantes para serem discutidos, ainda mais quando não é feito de forma romantizada e sim de forma mais real.
    E melhor saber que tem superação, o que só prova o quanto o livro pode ser bem escrito e elaborado. Violência e abuso sexual são assuntos que devem ser discutidos de maneira bem consciente.
    Um final de semana de muita inspiração e paz no coração!
    “Eis um teste para saber se você terminou sua missão na Terra: se você está vivo, não terminou.” (Richard Bach)
    Cheirinhos
    Rudy

    ResponderExcluir
  11. Que livro pesado, tanto a capa quanto a tematica conforme resenha. São temas que precisam ser discutidos e escancarados,porém ainda é tabu. Violencia sexual, pedofilia estão ai, bem proximo de nós mais ainda fazemos vista grossa para "não se envolver", que horror. Mas enfim, é o tipo de livro delicado de se ler, tem que se estar preparada pra isso.Muito valido

    ResponderExcluir
  12. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  13. E a primeira resenha que leio a respeito deste livro e fiquei totalmente instigada com a obra, pelo fato de retrata traumas, com temas intensos capaz de mexer com o leitor, outro ponto e a autora não romantizar este tipo de assunto, muito menos demonstrar que isto pode ser superado, ou curado da noite pro dia, ou apenas com um tanquinho como você mesma citou. Uma pena que o começo tenha sido um pouco lento, mas que aos poucos foi te envolvendo pelo fato dos personagens irem amadurecendo e te cativando.

    ResponderExcluir
  14. Esse livro foi uma surpresa pra mim e fiquei maravilhada com o que a Sinéia apresentou. Rafani uma mulher que tem todos os motivos para ser amarga mas é um doce de mãe, amiga e mulher e tem o samurai que foi tudo que Fani precisou tida vida a vida que o amor.

    ResponderExcluir